Baptismo de Luiza Andaluz

A 15 de março de 2024

Luiza Andaluz foi batizada a 15 de março de 1877, na Igreja da Graça, em Santarém. Teve por madrinha Nossa Senhora das Vitórias, representada pelo comendador Silvério Alves da Cunha, que tocou com a coroa da imagem, existente ainda hoje na capela da Casa Madre Luiza Andaluz (residência dos viscondes de Andaluz), e por padrinho Ernesto António Ribeiro Henriques do Avelar.
Pára um pouco para estares a sós contigo mesmo, com os outros e com Deus.
A força do Espírito impulsiona-nos a fazer um caminho interior.
A vida na fé é dom. É graça que Deus nos concede. É caminho que se faz sempre na companhia dos outros, da comunidade. “A fé é o melhor dom que Deus pode fazer à alma”, diz-nos Luiza.

 

Texto bíblico

Lê com atenção e em atitude de escuta o texto:

Um etíope, eunuco e alto funcionário da rainha Candace, da Etiópia, e superintendente de todos os seus tesouros, que tinha ido em peregrinação a Jerusalém, regressava, na mesma altura, sentado no seu carro, a ler o profeta Isaías. O Espírito disse a Filipe: «Vai e acompanha aquele carro.»

Filipe, acorrendo, ouviu o etíope a ler o profeta Isaías e perguntou-lhe: «Compreendes, verdadeiramente, o que estás a ler?» Respondeu ele: «E como poderei compreender, sem alguém que me oriente?» E convidou Filipe a subir e a sentar-se junto dele.

Dirigindo-se a Filipe, o eunuco disse-lhe: «Peço-te que me digas: De quem fala o profeta? De si mesmo ou de outra pessoa?» Então, Filipe tomou a palavra e, partindo desta passagem da Escritura, anunciou-lhe a Boa-Nova de Jesus. Pelo caminho fora, encontraram uma nascente de água, e o eunuco disse: «Está ali água! Que me impede de ser baptizado?» Filipe respondeu: «Se acreditas com todo o coração, isso é possível.» O eunuco respondeu: «Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus.»

E mandou parar o carro. Ambos desceram à água, Filipe e o eunuco, e Filipe baptizou-o. Quando saíram da água, o Espírito do Senhor arrebatou Filipe e o eunuco não o viu mais, seguindo o seu caminho cheio de alegria. (At 8, 27-31.34-39)

 

Retém do texto as passagens que têm significado para ti.

Nos diferentes caminhos que se cruzam na vida, crescemos mais quando somos acompanhados e quando acompanhamos outros… Assim fez Filipe. Assim fazia Luiza.

No meu percurso de fé quem me acompanha?

E como acompanho outros a descobrirem a sua vida em plenitude?

 

Oração Final

Senhor Jesus agradeço-te o dom do baptismo de Luiza Andaluz. Que a sua história inspiradora possa tocar, hoje, a vida de muitas pessoas.

Senhor Jesus peço-te que o teu Espírito nos leve a acolher a Tua Palavra e a partilhá-la com os que se cruzam no nosso caminho.

Senhor Jesus entrego-te todas as pessoas que não tem ninguém para as acompanhar na vida. Que inspirados pelo exemplo de Luiza, levemos a cada pessoa uma palavra e gesto de bem.

Baptismo de Luiza Andaluz

A 15 de março de 2024

Luiza Andaluz foi batizada a 15 de março de 1877, na Igreja da Graça, em Santarém. Teve por madrinha Nossa Senhora das Vitórias, representada pelo comendador Silvério Alves da Cunha, que tocou com a coroa da imagem, existente ainda hoje na capela da Casa Madre Luiza Andaluz (residência dos viscondes de Andaluz), e por padrinho Ernesto António Ribeiro Henriques do Avelar.
Pára um pouco para estares a sós contigo mesmo, com os outros e com Deus.
A força do Espírito impulsiona-nos a fazer um caminho interior.
A vida na fé é dom. É graça que Deus nos concede. É caminho que se faz sempre na companhia dos outros, da comunidade. “A fé é o melhor dom que Deus pode fazer à alma”, diz-nos Luiza.

 

Texto bíblico

Lê com atenção e em atitude de escuta o texto:

Um etíope, eunuco e alto funcionário da rainha Candace, da Etiópia, e superintendente de todos os seus tesouros, que tinha ido em peregrinação a Jerusalém, regressava, na mesma altura, sentado no seu carro, a ler o profeta Isaías. O Espírito disse a Filipe: «Vai e acompanha aquele carro.»

Filipe, acorrendo, ouviu o etíope a ler o profeta Isaías e perguntou-lhe: «Compreendes, verdadeiramente, o que estás a ler?» Respondeu ele: «E como poderei compreender, sem alguém que me oriente?» E convidou Filipe a subir e a sentar-se junto dele.

Dirigindo-se a Filipe, o eunuco disse-lhe: «Peço-te que me digas: De quem fala o profeta? De si mesmo ou de outra pessoa?» Então, Filipe tomou a palavra e, partindo desta passagem da Escritura, anunciou-lhe a Boa-Nova de Jesus. Pelo caminho fora, encontraram uma nascente de água, e o eunuco disse: «Está ali água! Que me impede de ser baptizado?» Filipe respondeu: «Se acreditas com todo o coração, isso é possível.» O eunuco respondeu: «Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus.»

E mandou parar o carro. Ambos desceram à água, Filipe e o eunuco, e Filipe baptizou-o. Quando saíram da água, o Espírito do Senhor arrebatou Filipe e o eunuco não o viu mais, seguindo o seu caminho cheio de alegria. (At 8, 27-31.34-39)

 

Retém do texto as passagens que têm significado para ti.

Nos diferentes caminhos que se cruzam na vida, crescemos mais quando somos acompanhados e quando acompanhamos outros… Assim fez Filipe. Assim fazia Luiza.

No meu percurso de fé quem me acompanha?

E como acompanho outros a descobrirem a sua vida em plenitude?

 

Oração Final

Senhor Jesus agradeço-te o dom do baptismo de Luiza Andaluz. Que a sua história inspiradora possa tocar, hoje, a vida de muitas pessoas.

Senhor Jesus peço-te que o teu Espírito nos leve a acolher a Tua Palavra e a partilhá-la com os que se cruzam no nosso caminho.

Senhor Jesus entrego-te todas as pessoas que não tem ninguém para as acompanhar na vida. Que inspirados pelo exemplo de Luiza, levemos a cada pessoa uma palavra e gesto de bem.