Logo Peça a Peça

Fevereiro

2024

Capela de Nossa Senhora dos Inocentes

Corpos de clausura da Capela de Nossa Senhora dos Inocentes, Convento das Capuchas.

Capela de Nossa Senhora dos Inocentes

O Convento das Capuchas – como é conhecido em Santarém – demonstra ainda estruturas típicas dos mosteiros e conventos femininos de clausura, embora acolhesse irmãs terceiras.

O espaço é composto pelos corpos monásticos necessários para a vida em clausura, como a grade, os confessionários, as cadeiras do coro e o comungatório. Mais do que peças, estes são elementos espirituais que convidamos a conhecer neste Peça a Peça. 

A capela de Nossa Senhora dos Inocentes é um edifício de nave única sem cabeceira, revestida a azulejos enxaquetados do início do século XVIII. Em 17 de fevereiro de 1924, Luiza compra o edifício em hasta pública e restaura esta capela, que veio a acolher algumas peças do espólio do antigo Convento. Em 1949, a capela foi alvo de obras de reabilitação, às quais Luiza se refere nos seus escritos:

Começámos por restaurar a igreja: telhados, tetos, paredes, soalho novo, ladrilhos, azulejos, etc..

Capela de Nossa Senhora dos Inocentes
Capela de Nossa Senhora dos Inocentes

A grade, do século XVIII, característica dos conventos e mosteiros de clausura, significa a separação física da vida de clausura da do mundo, típica desta opção de vida. O elemento é em ferro forjado com espigões virados para o lado de fora e durante a presença das Irmãs Capuchas, podia ainda ser reforçada com cortinas negras de modo a não ser visível o interior do coro alto.

O coro baixo tem ao centro um comungatório – porta de pequenas dimensões – destinado à passagem da âmbula ou píxide, permitindo a comunhão eucarística para as Irmãs em clausura.

De ambos os lados do comungatório encontram-se duas portas de passagem para o antigo coro baixo. Provavelmente, nestas portas, estariam rasgadas as aberturas para o confessionário, que não se conservaram até hoje. Porém conservam-se ainda três confessionários móveis, em madeira e metal, em excelente estado de conservação.

O cadeiral de madeira, típico do coro, já não se encontra no seu lugar original, mas existe em bom estado e está ainda hoje a uso na capela e na antiga sacristia. 

Desde sempre tinha ali conhecido, escondidas atrás das suas grades, as boas Irmãs Capuchas. Na sua capela que era pública, faziam-se as cerimónias da Semana Santa e muitas outras festas e pequenas devoções durante o ano.

(Luiza Andaluz, História da Congregação das Servas de Nossa Senhora de Fátima, pg 33, Ed. Lucerna)

Categoria: Várias

Designação: Capela de Nossa Senhora dos Inocentes

Data: Século XVIII

Localização: Convento das Capuchas