Logo Peça a Peça

Agosto

2021

Emblema

Emblema com a representação do escudo mariano, em talha dourada, pertencente ao retábulo dedicado a Nossa Senhora da(s) Vitória(s).

Emblema

A presente escultura em madeira dourada foi produzida para ser o remate do retábulo da capela dedicada a Nossa Senhora da(s) Vitória(s), presente na Casa Madre Luiza Andaluz, antigo Palacete Andaluz.

No emblema está representado o escudo mariano, que é composto pelo anagrama mariano e a coroa. Ambos são símbolos associados a Maria e ao culto mariano. Enquanto o anagrama, constituído pela letra A e M, significa Ave Maria, a coroa simboliza a coroação de Maria, como rainha do céu e da terra.

Emblema
Capela

O culto mariano floresceu em Portugal, desde a sua fundação como país, marcado – e reconhecível – pela prolífica construção de igrejas e capelas dedicadas a Nossa Senhora. A devoção pode ser demonstrada pelos crentes através de peregrinações, pela presença de imagens, e outras formas de representação, de Maria no seu lar ou pela construção de capelas particulares. Os Viscondes de Andaluz encaixam na última categoria, tendo mandado construir uma dedicada a Nossa Senhora da(s) Vitória(s) na sua casa, o antigo Palacete Andaluz.

Sob a influência dos seus pais católicos, Luiza Andaluz e a sua irmã Eugénia demonstraram desde cedo uma grande devoção a Nossa Senhora.

“O que tínhamos era uma grande devoção a Nossa Senhora e há muito que desejávamos pertencer à Associação das Filhas de Maria, mas em Santarém não havia nenhum centro. Ficámos radiantes quando as boas Irmãs Dominicanas, a saudosa madre S. Jacinto e a madre Mac-Mahon nos disseram que iam fundá-la no colégio. Até hoje nunca deixei de usar a mesma medalha, o diploma de entrada que conservo tem a data de 23 de julho de 1895. Eu creio que foi nesta ocasião que a Eugénia e eu começámos a juntar ao nosso nome de Batismo também o de Maria, passando sempre a assinar as cartas íntimas e os documentos não oficiais com Eugénia Maria e Luiza Maria[,] o que ainda faço.”

Luiza Andaluz, História da Congregação. Lucerna, 2020.

Véu de ombros, Pelicano eucarístico

Categoria: Escultura

Designação: Emblema

Data: Século XIX

Dimensões: 32 cm x 13 cm x 42,10 cm

Localização: Casa Madre Luiza Andaluz

Inventário: CSNSF/CMS.E.0119