Logo Peça a Peça

Janeiro

2021

São Sebastião

Esta escultura de São Sebastião é em madeira policromada do século XVIII, de produção portuguesa, proveniente do antigo Convento das Capuchas, adquirido por Luiza Andaluz em 1924.

O santo encontra-se representado amarrado a uma árvore e são visíveis os sete orifícios das flechas, todavia o paradeiro das flechas, possivelmente de prata, é desconhecido.

São Sebastião

São Sebastião, descendente de uma família nobre, seguiu a vida militar para defender os cristãos da perseguição que enfrentavam no século III. A sua coragem e habilidade militar foi reconhecida pelo imperador Diocleciano, que o nomeou capitão general da Guarda Pretoriana.

São Sebastião
São Sebastião, pormenor ferimentos

A sua fé cristã é revelada ao imperador por um denunciante, e, em consequência, São Sebastião é amarrado a um tronco de árvore e cravado de flechas. Este sobrevive, graças a uma jovem que o cura, e volta para defender os cristãos junto ao imperador. Diocleciano condena-o à morte por chicoteamento no dia 20 de janeiro de 288, ou 300.

Perante tal sofrimento, São Sebastião é imediatamente reconhecido como mártir e venerado. Iconograficamente, São Sebastião é inconfundível, sendo representado preso a um tronco de árvore com o corpo atravessado por flechas.

É de referir que parte da hagiologia (ciência que estuda os santos) não tem uma base histórica que comprove que as histórias que tão bem conhecemos e sempre ouvimos contar estão corretas, tal como a história de São Sebastião.

Categoria: Escultura

Designação: São Sebastião

Data: Século XVIII

Dimensões: 72,50 cm x 38,00 cm x 21,80 cm

Localização: Casa Madre Luiza Andaluz

Inventário: CSNSF/FLA.E.0003